Participe do sorteio: Transforme a educação e concorra a prêmios!

Participe do sorteio: Transforme a educação e concorra a prêmios! Quanto mais cursos você concluir, mais chances de ganhar.

Certificado De Autorização Secap/Me Nº 01.013577/2021

Jovem acena para o laptop e sorri.
Se meu computador pensasse: uma correlação entre a lógica computacional e os problemas do dia a dia

Período de realização: 11/10 a 08/11

Se meu computador pensasse: uma correlação entre a lógica computacional e os problemas do dia a dia
Indique este curso:

Período de realização: 11/10 a 08/11


*** 100% gratuito | Alinhado à BNCC ***

A BNCC (Base Nacional Comum Curricular) traz em suas diretrizes a orientação da necessidade de as redes de ensino tratarem as questões referentes ao desenvolvimento da cultura digital, da aprendizagem criativa, do pensamento computacional, da linguagem de programação e da robótica em seus currículos, possibilitando, assim, que crianças e jovens brasileiros estejam em sintonia com as competências e habilidades exigidas na sociedade do século XXI. O ensino remoto, ao passo que gerou muitos desafios aos educadores, permitiu a aproximação a alguns desses elementos.

É fundamental que as escolas abordem a cultura digital e o pensamento computacional como propulsores da identificação de problemas e da busca de soluções a partir de sequências lógicas de passos, consolidando aprendizagens criativas e voltadas às realidades dos estudantes. Este curso convida educadores a fazerem uma imersão no tema de forma lúdica e “mão na massa”.

*********************
Este curso é uma parceria com o programa Pense Grande, iniciativa da Fundação Telefônica Vivo que tem como objetivo criar oportunidades de desenvolvimento para os estudantes e educadores de Ensino Médio nos temas de empreendedorismo social, tecnologias digitais e projeto de vida, alinhadas às competências gerais da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).
*********************

Ative a notificação de inscrições para a próxima edição do curso no botão "Avise-me".

>>> Para recomendar a colegas, clique nos ícones acima.

Como esse curso inova
Inova ao propor o pensamento computacional e a resolução de problemas como alicerces da aprendizagem: instrumentaliza o professor com estratégias para o encorajamento de uma postura investigativa, criativa e problematizadora por parte dos estudantes.

Quero parabenizar a todos os envolvidos nas escolhas das temáticas e na metodologia das aprendizagens, que são muito práticas e proporcionam a interação direta do participante. Muito obrigada pela oportunidade.

Luisa Beatriz Ribar Vaz, RS.

Objetivos

A formação busca promover uma familiarização dos professores ao trabalho com o pensamento computacional, que oportuniza a crianças e jovens a adoção de métodos sustentados no levantamento de problemas e na busca de soluções a partir de sequências lógicas de passos. Incentiva a aprendizagem criativa e a postura investigativa, propondo aos educadores desafios que podem também ser levados aos estudantes, em sintonia com as competências e habilidades requeridas na sociedade do século XXI.

A partir do curso, espera-se que o professor:

  • identifique o que é o pensamento computacional e quais são seus quatro pilares;
  • analise a importância do pensamento computacional na aprendizagem;
  • entenda como aplicar o pensamento computacional na sua prática pedagógica;
  • elabore uma atividade para exercitar o pensamento computacional com seus alunos.

A partir da aplicação de aprendizagens construídas no curso pelo educador, espera-se que o estudante:

  • utilize diferentes suportes e tecnologias para aprender;
  • consiga criar estratégias para resolver problemas a partir da aplicação dos quatro pilares do pensamento computacional: decomposição, reconhecimento de padrões, abstração e geração de um algoritmo;
  • adote uma postura investigativa e torne a resolução de problemas um hábito para a vida, permitindo-se explorar, descobrir, formular e produzir (independentemente da ferramenta aplicada).

 

Unidades

Unidade 1 – Conceito

Na unidade 1, busca-se conceituar o pensamento computacional (“PC”) a partir de uma explanação, prática e contextualizada, de seus quatro pilares.

Pratique: A seção propõe um desafio ao educador com base no pensamento computacional.

Teorize: Uma abordagem teórica e aplicada do conceito de pensamento computacional é apresentada. Em seguida, são ilustrados, com uma situação do cotidiano, seus quatro pilares - decomposição, reconhecimento de padrões, abstração e geração de um algoritmo.

Compartilhe: O primeiro fórum convida ao compartilhamento de estratégias para sair de um “labirinto virtual”.

Unidade 2 – Contexto

A unidade 2 propõe a reflexão sobre a importância do pensamento computacional para a aprendizagem.

Teorize: A apresentação demonstra, a partir de contribuições de especialistas, como o PC está relacionado com as competências e habilidades previstas na Base Nacional Comum Curricular (BRASIL, 2018), assim como com conteúdos de diferentes componentes curriculares.

Pratique: O jogo proposto é um convite a identificar os pilares do PC nas diversas áreas do conhecimento.

Compartilhe: O fórum da unidade 2 traz uma situação-problema que estimula a reflexão sobre por que e como incorporar o PC e a cultura digital na prática educativa. 

Unidade 3 – Prática

A unidade 3 tem como foco atividades que mobilizam as competências gerais, desenvolvem o currículo e fortalecem o pensamento computacional.

Pratique: Experiências e dicas “mão na massa” encorajam o professor a realizar atividades “plugadas” e “desplugadas” com base no pensamento computacional. Os recursos fazem parte do acervo do Programaê!, uma iniciativa que facilita a introdução da linguagem de programação e da lógica computacional nas práticas pedagógicas. 

Compartilhe: No fórum, a unidade 3 incentiva a discussão sobre que habilidades e competências as práticas disponibilizadas ajudam a mobilizar.

Unidade 4 – Criação

A unidade final do curso busca consolidar os conceitos explorados e convida à construção de uma microprática.

Relembre: A partir de um jogo da memória, é realizada uma síntese do conteúdo.

Compartilhe: O último fórum do curso é uma oportunidade de colaborar e aprender com o grupo a partir do compartilhamento das ações elaboradas.

 

Alinhamento à BNCC

De acordo com a BNCC (Base Nacional Comum Curricular), o pensamento computacional “envolve as capacidades de compreender, analisar, definir, modelar, resolver, comparar e automatizar problemas e suas soluções, de forma metódica e sistemática, por meio do desenvolvimento de algoritmos” (BRASIL, 2018, p. 474). Abrange e solicita, portanto, processos matemáticos de resolução de problemas, de investigação, de desenvolvimento e de modelagem. Conforme a BNCC, estas constituem “formas privilegiadas da atividade matemática, motivo pelo qual são, ao mesmo tempo, objeto e estratégia para a aprendizagem ao longo de todo o Ensino Fundamental” (BRASIL, 2018, p. 266). No Ensino Médio, na área de Matemática e suas Tecnologias, busca-se consolidar os conhecimentos desenvolvidos na etapa anterior e ampliar o acervo de recursos dos estudantes para que resolvam problemas mais complexos e de maior exigência de abstração. Ainda segundo a BNCC, os alunos “também devem construir uma visão mais integrada da Matemática, da Matemática com outras áreas do conhecimento e da aplicação da Matemática à realidade” (BRASIL, 2018, p. 471).

 


 

Atividade avaliativa

Avaliação objetiva: para aprovação no curso, é necessário obter aproveitamento igual ou superior a 70% no questionário final.

Conheça as principais características deste curso e encontre cursos semelhantes:
Carga Horária:
30 horas





Caminhos para a Inovação:
Cultura Digital Relações Práticas

Certificação:

Centro Universitário Ítalo Brasileiro

Curso Gratuito
Certificado Incluso
Indique este curso:

Período de realização: 11/10 a 08/11


*** 100% gratuito | Alinhado à BNCC ***

A BNCC (Base Nacional Comum Curricular) traz em suas diretrizes a orientação da necessidade de as redes de ensino tratarem as questões referentes ao desenvolvimento da cultura digital, da aprendizagem criativa, do pensamento computacional, da linguagem de programação e da robótica em seus currículos, possibilitando, assim, que crianças e jovens brasileiros estejam em sintonia com as competências e habilidades exigidas na sociedade do século XXI. O ensino remoto, ao passo que gerou muitos desafios aos educadores, permitiu a aproximação a alguns desses elementos.

É fundamental que as escolas abordem a cultura digital e o pensamento computacional como propulsores da identificação de problemas e da busca de soluções a partir de sequências lógicas de passos, consolidando aprendizagens criativas e voltadas às realidades dos estudantes. Este curso convida educadores a fazerem uma imersão no tema de forma lúdica e “mão na massa”.

*********************
Este curso é uma parceria com o programa Pense Grande, iniciativa da Fundação Telefônica Vivo que tem como objetivo criar oportunidades de desenvolvimento para os estudantes e educadores de Ensino Médio nos temas de empreendedorismo social, tecnologias digitais e projeto de vida, alinhadas às competências gerais da Base Nacional Comum Curricular (BNCC).
*********************

Ative a notificação de inscrições para a próxima edição do curso no botão "Avise-me".

>>> Para recomendar a colegas, clique nos ícones acima.

Como esse curso inova
Inova ao propor o pensamento computacional e a resolução de problemas como alicerces da aprendizagem: instrumentaliza o professor com estratégias para o encorajamento de uma postura investigativa, criativa e problematizadora por parte dos estudantes.

Quero parabenizar a todos os envolvidos nas escolhas das temáticas e na metodologia das aprendizagens, que são muito práticas e proporcionam a interação direta do participante. Muito obrigada pela oportunidade.

Luisa Beatriz Ribar Vaz, RS.

Objetivos

A formação busca promover uma familiarização dos professores ao trabalho com o pensamento computacional, que oportuniza a crianças e jovens a adoção de métodos sustentados no levantamento de problemas e na busca de soluções a partir de sequências lógicas de passos. Incentiva a aprendizagem criativa e a postura investigativa, propondo aos educadores desafios que podem também ser levados aos estudantes, em sintonia com as competências e habilidades requeridas na sociedade do século XXI.

A partir do curso, espera-se que o professor:

  • identifique o que é o pensamento computacional e quais são seus quatro pilares;
  • analise a importância do pensamento computacional na aprendizagem;
  • entenda como aplicar o pensamento computacional na sua prática pedagógica;
  • elabore uma atividade para exercitar o pensamento computacional com seus alunos.

A partir da aplicação de aprendizagens construídas no curso pelo educador, espera-se que o estudante:

  • utilize diferentes suportes e tecnologias para aprender;
  • consiga criar estratégias para resolver problemas a partir da aplicação dos quatro pilares do pensamento computacional: decomposição, reconhecimento de padrões, abstração e geração de um algoritmo;
  • adote uma postura investigativa e torne a resolução de problemas um hábito para a vida, permitindo-se explorar, descobrir, formular e produzir (independentemente da ferramenta aplicada).

 

Unidades

Unidade 1 – Conceito

Na unidade 1, busca-se conceituar o pensamento computacional (“PC”) a partir de uma explanação, prática e contextualizada, de seus quatro pilares.

Pratique: A seção propõe um desafio ao educador com base no pensamento computacional.

Teorize: Uma abordagem teórica e aplicada do conceito de pensamento computacional é apresentada. Em seguida, são ilustrados, com uma situação do cotidiano, seus quatro pilares - decomposição, reconhecimento de padrões, abstração e geração de um algoritmo.

Compartilhe: O primeiro fórum convida ao compartilhamento de estratégias para sair de um “labirinto virtual”.

Unidade 2 – Contexto

A unidade 2 propõe a reflexão sobre a importância do pensamento computacional para a aprendizagem.

Teorize: A apresentação demonstra, a partir de contribuições de especialistas, como o PC está relacionado com as competências e habilidades previstas na Base Nacional Comum Curricular (BRASIL, 2018), assim como com conteúdos de diferentes componentes curriculares.

Pratique: O jogo proposto é um convite a identificar os pilares do PC nas diversas áreas do conhecimento.

Compartilhe: O fórum da unidade 2 traz uma situação-problema que estimula a reflexão sobre por que e como incorporar o PC e a cultura digital na prática educativa. 

Unidade 3 – Prática

A unidade 3 tem como foco atividades que mobilizam as competências gerais, desenvolvem o currículo e fortalecem o pensamento computacional.

Pratique: Experiências e dicas “mão na massa” encorajam o professor a realizar atividades “plugadas” e “desplugadas” com base no pensamento computacional. Os recursos fazem parte do acervo do Programaê!, uma iniciativa que facilita a introdução da linguagem de programação e da lógica computacional nas práticas pedagógicas. 

Compartilhe: No fórum, a unidade 3 incentiva a discussão sobre que habilidades e competências as práticas disponibilizadas ajudam a mobilizar.

Unidade 4 – Criação

A unidade final do curso busca consolidar os conceitos explorados e convida à construção de uma microprática.

Relembre: A partir de um jogo da memória, é realizada uma síntese do conteúdo.

Compartilhe: O último fórum do curso é uma oportunidade de colaborar e aprender com o grupo a partir do compartilhamento das ações elaboradas.

 

Alinhamento à BNCC

De acordo com a BNCC (Base Nacional Comum Curricular), o pensamento computacional “envolve as capacidades de compreender, analisar, definir, modelar, resolver, comparar e automatizar problemas e suas soluções, de forma metódica e sistemática, por meio do desenvolvimento de algoritmos” (BRASIL, 2018, p. 474). Abrange e solicita, portanto, processos matemáticos de resolução de problemas, de investigação, de desenvolvimento e de modelagem. Conforme a BNCC, estas constituem “formas privilegiadas da atividade matemática, motivo pelo qual são, ao mesmo tempo, objeto e estratégia para a aprendizagem ao longo de todo o Ensino Fundamental” (BRASIL, 2018, p. 266). No Ensino Médio, na área de Matemática e suas Tecnologias, busca-se consolidar os conhecimentos desenvolvidos na etapa anterior e ampliar o acervo de recursos dos estudantes para que resolvam problemas mais complexos e de maior exigência de abstração. Ainda segundo a BNCC, os alunos “também devem construir uma visão mais integrada da Matemática, da Matemática com outras áreas do conhecimento e da aplicação da Matemática à realidade” (BRASIL, 2018, p. 471).

 


 

Atividade avaliativa

Avaliação objetiva: para aprovação no curso, é necessário obter aproveitamento igual ou superior a 70% no questionário final.

Conheça as principais características deste curso e encontre cursos semelhantes:
Carga Horária:
30 horas





Caminhos para a Inovação:
Cultura Digital Relações Práticas

Certificação:

Centro Universitário Ítalo Brasileiro

Se meu computador pensasse: uma correlação entre a lógica computacional e os problemas do dia a dia
Curso Gratuito
Certificado Incluso

Período de realização

11/10 a 08/11

Carga Horária

30h